maisasilvio

Maísa Silva, 7 anos, recebeu chorando os insultos e a verve maledicente de seu patrão Silvio Santos. Tudo transmitido em horário nobre pelo SBT. Deprimente ver a pequerrucha em lágrimas, pois ao correr para o colo de sua mãe esbarrou em uma câmera e segundos depois voltou ao palco dizendo que “está doendo, está doendo muito”. E para completar o pastelão e o descaso do apresentador e dono da TV com a segunda maior audiência do país, Maísa se apressou a dizer: “Vou hoje, mas prometo gravar dois programas nesta semana!”

Enquanto isso, tudo era levado na mais estrita galhofa. O caso Maísa já deveria ter sido encerrado há muito tempo. Trata-se de uma menor de idade sendo explorada por seus pais que vêem nela, além de uma menina-prodígio (o que realmente é), uma mina de ouro com potencial vistoso para nublar a descoberta de petróleo no campo de Tupi e até mesmo o sempre falado pré-sal.

Silvio Santos viu que a petiz – além de talento – poderia alavancar seus índices de audiência, quase sempre emparelhando ou perdendo a segunda posição no Ibope para a concorrente Record. O Ministério Público ameaçou interditar Maísa e a forma como estava sendo “usada” pelo SBT. O Youtube vem bombando milhares de visualizações com essas cenas, como já disse, deprimentes (ver aqui e aqui).

Frase emblemática

Não é de hoje que a busca por audiência televisiva faz uso de crianças da mais tenra idade. Nos anos 1970 existia programa na finada TV Tupi comandado pelo Lúcio Mauro, Essa gente inocente. Era tudo ensaiadinho, nada saía do roteiro e se saía tinha como consertar antes de ir ao ar. Foi de lá que surgiu o menino-prodígio conhecido como Ferrugem. Detalhe: Ferrugem padecia de uma enfermidade que lhe impedia ou retardava o crescimento.

Nos anos 1980 tivemos Xuxa com programas em que era endeusada e onde ser chamada Rainha dos Baixinhos era o de menos. Muitas eram as cenas vistas ao vivo pelas lentes da Globo em que a apresentadora empurrava a cabeça da criança contra o microfone ou simplesmente chamava a criança de burra.

Maísa se veste como Shirley Temple, moda comum na primeira metade do século 20. A original Temple, além de falar e contar piadas, cantava e sapateava. Encantava a classe média e pobre e encantava mais ainda as classes dirigentes dos Estados Unidos. Eram os anos da Grande Depressão. É provável que dali tenha nascido o termo “menina-prodígio”.

Já naquele tempo não era nada fácil para a artista-aprendiz-de-adulto. Temple iniciou aula de dança aos 3 anos de idade e foi contratada para participar de Baby Burlesks, uma série de curtas que parodiavam estrelas e astros adultos, mais notadamente Marlene Dietrich. Foi estrela da Fox e da Paramount. Seus cachinhos e covinhas, além do talento para o palco e a idade, renderam-lhe um Oscar aos 6 anos.

Estudiosos do tema são unânimes ao afirmar que Shirley Temple foi a salvadora da Fox e do público na época da Depressão. Filmes com sua participação eram garantia de bilheteria. Já adulta, após aposentar-se em 1949, aos 21 anos, foi embaixadora de Washington em Gana e na Tchecoslováquia.

Duas frases da pequena Shirley Temple mostram à medida o que significou ter uma infância roubada: “E se quando eu crescer não for tão bonita quanto hoje?”; e a não menos emblemática “Deixei de acreditar em Papai Noel quando tinhas 6 anos. Minha mãe me levou em uma loja e ele pediu meu autógrafo”.

Lição de profissionalismo

Desde setembro de 2008, com a quebra do Lehmann Brothers nos EUA, o que não faltam são analistas para dizer que vivemos um período de caos econômico muito similar aos vivido nos anos 1930 e conhecido como a “Grande Depressão”. Sintomático que o Brasil passe a conviver com sua Maísa Silva assim como o Grande Irmão suportou as agruras daquele tempo com sua Shirley Temple.

Não há como negar o forte apelo de uma criança contracenando com o dono da empresa e fazendo coisas hilárias, como tentar arrancar sua possível peruca ou chamar a atenção para as muitas rugas no rosto do chefe.

Como também não há como negar que na defesa de crianças e de adolescentes no Estatuto da Criança e do Adolescente parece ser mais obra literária do que um conjunto de normas para proteger a dignidade de nossas crianças e seu direito à infância.

O que não podemos esquecer é a promessa de Maísa de que irá gravar dois programas em uma só semana. Mais responsável, impossível.

(Texto publicado com um dia de antecedência no site http://www.observatoriodaimprensa.com.br)

COMENTÁRIOS

bruno oliveira , teresina-PI – estudante de jornalismo

Enviado em 26/5/2009 às 1:55:52 PM

 

maysa,petiz,menina prodígio seja lá o que for,que a imprensa escalão chame,merece um tratamento mais simplório não de uma grande estrela-mirim.ela não demonstra um só senso de dever com o público infantil,pois incita em alguns breves momentos,alguns xingamentos,gestos toscos,uma deferência diante de um público de escárnio.eu entendo,que se ela quer ser mesmo uma estrela da tv brasileira,deve se reeducar num sentido de se dar um valor como uma artista constelar e não uma artista da fome,pois suas gafes valem muito dinheiro em programas.

Martha Assumpção , Manaus-AM – dona de casa

Enviado em 26/5/2009 às 1:48:25 PM

Vc escreveu: “não há como negar que na defesa de crianças e de adolescentes no Estatuto da Criança e do Adolescente parece ser mais obra literária do que um conjunto de normas para proteger a dignidade de nossas crianças e seu direito à infância.” Creio que o Brasil é mais aquele dos textos regulatórios, das leis e das normas, estatuto para tudo que possa existir (idosos, igualdade racial, criança, índios, enfermos, funcionários públicos etc) mas na hora do vamos ver a coisa fica na estaca zero! Somente uma multa pesada nas empresas do Baú para que caia a ficha que seu dono foi longe demais. Porque ele não “brinca” assim com suas netas? Porque não contrata uma trupe vestidos de zumbis dignos do elenco de Sexta-feira 13 para dar uns sustos em sua netarada?

Pedro Queiróz , Goiania-GO – Funcionário público

Enviado em 26/5/2009 às 1:43:34 PM

Agora chegam os moralistas de plantão reclamando porque uns defendem o direito de Maisa de ser criança. Eles pensam que se resolve tudo duma tacada só. Esquecem que a melhoria para ser duradoura precisa ser feita caso a caso, gota a gota. Fazem bem os que veem indícios de maldade do Silvio Santos em sua relação grotesca com sua funcionária-mirim.

Haroldo   Martos Coelho , Guarulhos-SP – advogado

Enviado em 26/5/2009 às 1:04:07 PM

Concordo integtalmente com a manifestação do Sr Julio P. de Souza, milhares de crianças nos farois, vendendo de tudo, inclusive favores sexuais,exploradas criminosamente por adultos, não merecem a atenção do das autoridades . Porque será?

Ivan Moraes , Newark, NJ-MG – sem profissao

Enviado em 26/5/2009 às 12:53:09 PM

“SBT ficará impune e os pais da Maisa assinarão até a venda da alma da menina para ganhar seus 40 ou 50 mil reais por mes…”: se o SBT paga uma crianca 25 mil dolares por mez pra fazer um quadro de televisao ele merecem enforcamento mesmo. Todo mundo sabe o que aconteceu com o dinheiro de Shirley Temple.

Renilda Cavalcanti , Mossoró-RN – Professora/Psicóloga

Enviado em 26/5/2009 às 12:38:35 PM

Belo texto. Vou repassar. Escreveu tudo o que penso.

Eliane Farias , Brasília-DF – Assistente Social

Enviado em 26/5/2009 às 12:36:43 PM

Por que não mandam esse texto diretamente ao Silvio Santos e à sua equipe caça-talentos? E também aos pais da Maisa? Mandem também para o MPF e para a SEDH, o ministro Paulo Vanuchi dos Direitos Humanos que só quer saber de viajar e viajar, marcar reunião de Conselhos de Direitos Humanos pais afora e na hora de agir, nadica de nada. Parabéns Washington Araujo por colocar os pontos nos milhares de iiiiii. O certo infelizmente é que o SBT ficará impune e os pais da Maisa assinarão até a venda da alma da menina para ganhar seus 40 ou 50 mil reais por mes… ou será dez vezes mais que isso?

Marcia Rovaris , Piracicaba-SP – jornalista, mestranda de comunicação

Enviado em 26/5/2009 às 12:33:03 PM

Ótimo texto. Uma sem vergonhice que os juizados de menores permitam o uso de uma criança como vem fazendo o tal Abravanel. Cadê os psicólogos sempre tão ciosos dos danos causados às crianças pelos meios de comunicação? Cadê os lesgiladores do Estatuto da Criança e do Adolescente sempre pronto a escrever autolouvores pelo dito cujo e na hora agá nem aparecem à boca do palco para recriminar tal postura? Cadê o Dimenstein sempre falando de nossas crianças como maior tesouro do país?

Renan Ribeiro , Rio-RJ – advogado

Enviado em 26/5/2009 às 12:26:55 PM

Faltou dizer que até Roosevelt fez peça de campanha dos aliados usando Shirley Temple. Não vai tardar e o governador Serra pedirá emprestado a menina Maisa de seu colega Silvio Santos e assim trocará aquela cara vampiresca por uma carinha de gente realmente inocente e doce. Concordo com o autor em genero/nr/grau. Penso que o programa deveria ter sido retirado do ar a partir do momento em que a menina chorando e falando pelos cotovelos que estava doendo a audiência ficava escutando a cara de pau do senhor SS lançando perversas frases contra a menina. O mau carátismo do Silvio extrapolou. Cadê o Ministério Público Federal e o Juizado da Infância para multar o SBT? Ficaram aguardando a grita da população? Que instituições são essas? Ao menos tivemos esse texto do Araujo.

Rita Vallandro , Porto Alegre-RS – Professora universitária/Psicologia

Enviado em 26/5/2009 às 12:20:48 PM

Logo a menina cresce e com isso toda a frustração de um dia ter sido paparicada pelo big boss do SBT e logo em seguida descartada como se descaratam guardanapos de papel usados. Um mundo cão. Você apontou isso no texto e assino embaixo. De vez em qdo seria bom esse OI abrir mais espaço para o que importa mesmo que é a crítica da mídia e não ficar dando voltas njo umbigo como o faz o tal Paulo Bandarra que nem sei de que planeta fala esse senhor que se diz médico e tudo. Maisa chorou porque é uma criança e o ECA deveria ter proibido as maldades contra ela disparadas pelo dono do SBT. Ela será os tais meliantes do PCC entrevistados pelo Gugu no mesmo canal e que ao final de tudo… não passava de uma farsa.

Ivan Moraes , Newark, NJ-MG – sem profissao

Enviado em 26/5/2009 às 12:15:52 PM

“colunista fez bem em mostrar a cumplicidade dos pais – provavelmente classe média baixa – querendo faturar algum e (…)”: tenho certeza que eles estao milionarios… Quando eu vivia na roça, em BH, milionario era quem tinha dinheiro pra plastica, mas hoje ja nao sei mais. Ter filho trabalhando na televisao qualifica, aparentemente.

Rodrigo Viana , Belo Hte-MG – psicólogo

Enviado em 26/5/2009 às 12:15:25 PM

Bem feita a crítica. Foi direto no ponto e desmascarou o que há por trás desses meninos-prodígios. Existe uma indústria de pais a tratar filhos como coisas. Uma [ ] do SBT e de seu capo. Humilhar a garota (sim, fui ver no link do YouTube), destratá-la como medrosa, como quem não vai ter marido para aguenta-la. Só falta agora o Silvio ser chamado para dar aulas na Escola Piaget em Genebra pois é um talento nato para ensinar como tratar e falar com crianças de 7 anos. Um [ ] e tanto.

Ivan Moraes , Newark, NJ-MG – sem profissao

Enviado em 26/5/2009 às 12:12:21 PM

“E a situação da menina, como é que fica? Que menina ela será daqui a uns 15 anos?”: nao tenho ideia do que isso quer dizer! A carreira dela esta terminada pra todo o sempre? Ela esta expulsa da tv pra todo o sempre? Silvio Santos tambem eh doido agora? Quem eh doido eh quem fabricou o escandalo da cassassao do alvara de trabalho de uma crianca de 6 anos quando uma simples carta intragerencias teria sido suficiente. Agora ja nao ta dando nem pra separar quem esta indignado e quem tem interesse comercial em falar mal em Silvio Santos.

André Povoas , João Pessoa-PB – Desempregado

Enviado em 26/5/2009 às 12:11:55 PM

Como sempre o desejo de se espelhar nos Estados Unidos, êta coisa de miserável colonizado. Menina com caxinhos criados na chapinha e usando roupas de outro século é bem coisa da cafonice do SBT. O escritor foi fundo na crítica e merece nosso aplauso. Que infância que nada, o negócio é o barulho do dinheiro entrando na caixa registradora. Uma vergonha usar uma criança de 7 anos para criar renda dos pais e criar uma adolescente desajustada como tantas crianças que foram utilizadas como coisas em programas de televisao no passado e que hoje são reduzideas a farrapos humanos. Cadê o ferruguem? Cadê o Chico Esperto dos anos 70, Cadê o “esqueceram de mim” Culkin? Esse sabemos: vive internado em clínica para drogrados e lutando nos tirbunais pelas malfeitorias de seus pais no uso e abuso de seu dinheiro (dinheiro de gente grande). Será isso que querem os pais da Maísa com a oportunidade de ouro “dada” ou comprada a peso de ouro em pó pelo mecenas Silvio Santos?

Sandoval Cardoso , Brasília-DF – Jornalista/Economista

Enviado em 26/5/2009 às 12:05:43 PM

Pequeno o texto, destoando de sua digressões anteriores mas, como os anteriores, sempre antenado e certeiro na crítica. Parabéns por não por panos nas mangas. Fui ver o vídeo no youtube e verifiquei o assunto como deprimente. Esse SBT deveria ficar de molho, sem ir ao ar, pelo menos por uma semana.

Ruth Pacheco , São Paulo-SP – Socióloga

Enviado em 26/5/2009 às 12:02:55 PM

Uma tacada no coração do Silvio Santos para quem dinheiro acima de tudo, ibope = dinheiro e portanto vamos pro que der e vier. O colunista fez bem em mostrar a cumplicidade dos pais – provavelmente classe média baixa – querendo faturar algum e obviamente embasbacados com a ideia de privar da amizade do poderoso Señor Abravanel, vulgo Silvio Santos. Mandou bem Washington.

Renan Esteves , rio de janeiro-RJ – estudante de jornalismo

Enviado em 26/5/2009 às 11:52:08 AM

Infelizmente, isso já vem acontecendo há bastante tempo e vem virando um espécie de “cultura” em nosso país. Nesse caso ambos estão errados, principalmente os pais dela. Ea situação da menina, como é que fica? Que menina ela será daqui a uns 15 anos? Isso ninguem está pouco se lixando, pois essas pessoas que são dignas de ser pais dessa menina, só querem ganhar dinheiro – como já foi mencionado nesse artigo. Na minha opinião, desculpe o termo que vou falar: É PROSTITUIÇÃO INFANTIL. Assim como os jogadores de futebol que vão ainda moleques para a Europa, as jovens e lindas meninas que também embarcam desde cedo para o exterior e tem que ter o esteriótipo de magreza que chama a atenção. Enfim, são tantos exemplos que eu alongaria esta opinião. Hoje em dia é o dinheiro quem manda, e enquanto isso dominar a sociedade, não nos veremos livre dela.

Felipe  Vellozo , Rio de Janeiro-RJ – Ilustrador

Enviado em 26/5/2009 às 11:35:21 AM

Sobre esse caso, recomendo a leitura desse texto: http://anivelde.net/sorryperiferia/2009_05_19_silvio-santos-e-um-canalha-monumental.htm#comments

Julio Prático Souza , São Paulo-SP – Analista de Sistemas

Enviado em 26/5/2009 às 11:19:47 AM

Volto a questionar: Como a sociedade brasileira é engraçada… Criança suja nos semáforos pode !?!? Infelizmente, as elites desse país vêem a cozinha desmoronar, mas se preocupam em retocar a pintura da sala!

Ivan Moraes , Newark, NJ-MG – sem profissao

Enviado em 26/5/2009 às 10:28:29 AM

So vejo Silvio Santos sendo Silvio Santos. Maledicencia nao vi nenhuma, embora o corte de cena ja comece com ele falando que nao quer conversar mais com ela. Aacusar quem entrevista criancas na televisao, ao vivo, a 40 anos de “descaso” requer um pouco mais do que uma crianca que nao estava propriamente preparada: ela nao sabia que ele ia voltar ao assunto porque o programa eh dele! Como foi que isso aconteceu? Isso sim eh dificil de entender.

2 Responses so far.

  1. Sobre o comentário de Julio Prático Souza, em 26/05/2009: por favor Júlio, há anos procuro você, entre em contato comigo: marchi.dani1973@gmail.com ou atriomental@blogspot.com.

  2. Carlos disse:

    “uma mina de ouro com potencial vistoso para nublar a descoberta de petróleo no campo de Tupi e até mesmo o sempre falado pré-sal.” Achei com todo o respeito uma falta de preparo na construção de criticas da sua parte. Acho que os temas que você usa não são importantes e nem interessantes. Isso é apenas uma critica construtiva pessoal posso estar enganado, de qualquer forma acho que você tem potencial só tem que direciona-lo no foco certo e não fazer comentários imensa-mentes desproporcionados como o acima.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado