Lua para toda a humanidade

Leio na Esquire uma pequena entrevista com Gene Cernan, o “último homem a pisar na Lua”, membro da Apollo 17 em 1973. Ao responder sobre como se sentiu a 25 mil milhas por hora, ele descreve: “Você não sente a aceleração, mas você não aprecia o quão rápido está indo enquanto não olha para trás e vê a curvatura da Terra. Quando está na órbita da Terra, você voa de um nascer do sol para o pôr do sol a cada uma hora e meia, mas o horizonte só está ligeiramente curvado. Em apenas algumas horas você vê que o horizonte se fecha em si mesmo, formando um círculo. E então você percebe que está realmente numa viagem espacial e a Terra começa a se encolher muito rapidamente. Isso é impressionante. Você está se movendo por aquela escuridão cercado pela infinidade do espaço e tempo.”

Concordo com Daniekl Piza ao dizer que esta “foi uma das melhores coisas que li sobre os 40 anos do pouso na Lua.”


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado