Diretor de ‘Cidade de Deus’ trabalhou no clipe do Rio para a Olimpíada.
Cineasta aproveitou a entrevista para citar outros que ajudaram no filme.

Do G1, no Rio

O cineasta Fernando Meirelles, que trabalhou no clipe exibido nesta sexta feira (2) em Copenhague para divulgar o Rio de Janeiro como candidata a sede dos Jogos Olímpicos de 2016, comemorou a vitória da cidade na disputa contra Madrid, Tóquio e Chicago.

“A oportunidade foi conquistada, cabe agora sabermos aproveita-lá ao máximo, e aí entram os olhos dos cidadãos e até do Ministério Público, para que tudo ande direito”, disse o diretor de “Cidade de Deus” por e-mail ao G1. “Acho que o Rio tem aí uma excelente oportunidade para recuperar o prestígio que já teve e que foi sendo apagado por sucessivos governos equivocados (…)”

Meirelles aproveitou para fazer uma retificação. “A O2 Filmes produziu 7 filmes para o COB [Comitê Olímpico Brasileiro] que foram sendo usados em diferentes eventos ao longo de 2009. Só preciso corrigir um erro que se espalhou na imprensa, que eu dirigi os filmes. Não foi bem assim, tiveram mais 5 diretores envolvidos: Renato Rossi, Cesar Charlone, Nando Olival, Paulo Caruso e Rodrigo Meirelles. Apenas participei destes 2 últimos com o Paulo o Rodrigo e o Renato. A Cesar [Charlone] o que é de Cesar.”

 ‘Rio, eu te amo’

 Horas antes do anúncio do COI, o nome de Fernando Meirelles foi citado em uma entrevista coletiva da RioFilme e da produtora francesa Ever So Close como um dos 11 cineastas que participarão do projeto “Rio, eu te amo”.

O filme faz parte da série “Cities of love”, que traz histórias de amor filmadas em importantes cidades do mundo. “Paris, je t’aime” e “New York, I love you” (este com lançamento mundial marcado para o próximo dia 16) são os outros títulos produzidos com o selo da franquia até agora.

“Tenho que fazer um curta de 7 minutos filmado em dois dias sobre uma história de amor no Rio de Janeiro. Começo agora a buscar histórias de amor. Estou bem animado com o projeto”, comentou Meirelles.

O diretor carioca José Padilha, de “Tropa de elite”, também foi selecionado para o projeto. De acordo com o produtor Joshua Skurla, Daniela Thomas é o nome mais cotado para a terceira vaga entre os diretores brasileiros. Nenhum cineasta estrangeiro foi confirmado ainda.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado