Mercedes Sosa: Eles temem o escuro

Por Paulo de Tarso Riccordi, de Porto Alegre

 O estádio estava lotado para ouvir a música de La Negra quando as bombas explodiram.

Pude assistir a um único show de Mercedes Sosa. No Gigantinho, em Porto Alegre, final dos anos 70, antes de ela partir da Argentina para o exílio europeu.

La Negra estava cantando maravilhosamente (Duerme, negrito era uma das mais pedidas, à época) e nós a ouvíamos apaixonados. Nisso, paramilitares estouraram algumas bombas de gás lacrimogêneo atrás da platéia, perto de onde eu estava. Houve um princípio de pânico, pessoas começando a correr, a tentar sair, a se atropelar.

Foi quando Mercedes percebeu o que estava havendo e disse, com sua voz poderosa:
Acalmem, acalmem. Abaixem-se o mais que possam e respirem através de algum pano. E acendam as luzes.Eles” só sabem agir no escuro. Têm medo da luz.

E assim foi. Gigantinho totalmente lotado, as pessoas permaneceram em seus lugares, já sem pânico, confiantes na orientação de La Negra, que reiniciou a cantar. O gás subiu e se dispersou. E o show seguiu tranqüilo até o final. Seguro. Emocionante.


ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado