CUBA
“É a terra mais formosa que olhos humanos jamais viram”.
Colombo (1451?-1506).

FLORENÇA
“Florença… que serenidade imensa/ Nos teus campos remotos, de onde surgem/ Em tom de terracota e de ferrugem/ Torres, cúpulas, claustros: renascença/ Das coisas que passaram mas que urgem…”
Vinícius de Morais (1913-1980).

ÍNDIA
“Deus reserva sempre para si um país eleito em que o conhecimento superior é incessantemente mantido, pela elite ou pela massa, através de todos os perigos e todas as vicissitudes. E em nossa época… este país é a Índia”.
Sri Aurobindo (18725-1950)

ISRAEL
“Quem dirá se estás no perdido/ Labirinto de rios seculares/ De meu sangue, Israel?/ …/ Salve, Israel, que guardas a muralha/ De Deus, na paixão de tua batalha”.
Jorge Luís Borges (1899).

ITALIA
“O belo país/ Que os apeninos dividem e o mar e os Alpes circundam.”
Petrarca (1304-1374).
“Itália, ó Itália! Tu que tens/ O Dom fatal da beleza”.
Byron (1788-1824).
“Abre meu coração, e verás/ Gravado nele: Itália”.
Browning (1812-1889).

LISBOA
“Quem não vê Lisboa não vê coisa boa, escrevinham dos portugueses em fins dos século XV os embaixadores venezianos Trom e Lippomani”.
Gilberto Freire (1900).
“Lisboa é a liberdade, a fantasia, o lirismo, o progresso, o sangue e fermento da nação. Sem ela, que os amarra juntos, que teriam em comum o Minho e o Algarve, as Beiras e o Alentejo, senão a língua?”.
José Rodrigues Miguéis (1901).

LONDRES
“Londres – uma nação, não uma cidade”.
Disraelli.

MADRI
“Famoso umbigo da Espanha”.
Lope de Vega (1562-1635).

PARIS
“Quanto mais eu vi depois outras cidades belas, mais a beleza desta aqui domina e ganha a minha afeição”.
Montaigne (1533-1592).
“Bem que Paris vale uma missa”.
Atribuído a Henrique IV (1553-1610).
“Se tens a sorte de teres vindo a Paris quando moço, por onde quer que andes pelo resto de tua vida, ela estará contigo, porque Paris é uma festa móvel”.
Hemingway (1889-1961).
“… a capital do século XIX”.
Walter Benjamin (1892-1940).
“Quando a gente acorda de bom humor, é sinal de que está em Paris”.
Walter Benjamin (1892-1940).

ROMA
“Roma falou, a questão está resolvida”.
Santo Agostinho (354-430).
“Enquanto o Coliseu estiver de pé, Roma estará de pé;/ E quando o Coliseu cair, Roma há de cair;/ Quando Roma cair, cairá o Mundo”.
Byron (1788-1824).

VENEZA
“Veneza é uma cidade tão extraordinária que não é possível formar dela uma idéia justa sem tê-la visto; as cartas, os mapas, os exemplares, as descrições não bastam; é preciso tê-la visto. Todas as cidades do mundo se parecem mais ou menos; esta não tem semelhança com nenhuma. Cada vez que eu a revia depois de longas ausências, surgia em mim um novo espanto. À medida que eu crescia em anos, aumentava os meus conhecimentos e tinha confrontos para fazer, nela descobrindo novas singularidades, novas belezas”.
Goldoni (1707-1793).
“Ruas inundadas. Aguardo instruções”.
Robert Benchley (1889-1945)

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado