Sevilha é a mais espanhola das cidades da Espanha. Guarda os traços característicos do país: a dança flamenca, as touradas, as festas de rua, o calor do povo. Estou em Sevilha. Caminhar por suas ruas é enveredar de peito aberto pelos caminhos do coração. É uma cidade sentimental, onde o calçamento parece estar-nos dizendo algo, onde o sentimento de pertença parece estar sempre em alto-relevo. Sevilha fica no sul da Espanha e é o segundo centro mais importante para touradas, logo depois de Madri. Poucas vezes uma cidade pode dispor em seus limites de edifícios tão… singulares. Em Sevilha, existem marcas que o tempo não conseguiu apagar: dos romanos, dos visigodos, dos árabes e dos judeus. Sevilha chega ao gótico e termina fundindo-se com a tradição andaluza. O Renascimento encheu a cidade de palácios. O barroco não deixou apenas alguns de seus símbolos, mas parece estar bem plantado na terra sevilhana.
Nela, três importantes monumentos: a Torre de Giralda, a Catedral e o Alcázarf. A catedral, um dos marcos mais importantes da cidade, é considerada a Catedral Gótica do mundo. Segundo lendas locais, num dia quente do ano de 1401, numa sexta-feira, 8 de julho, quando o Conselho de Sevilha decidiu começar a construção da Catedral, um dos representantes do povo pronunciou uma oração que resume bem o espírito do povo sevilhano: “Devemos fazer uma igreja tão grande e tão imponente que os que a virem deverão exclamar: ‘Eles são loucos!’”.
E eles parecem ter levado isso a sério: o guia me explica que sou um dos 1.250.000 turistas que anualmente visitam a catedral, que tem o formato de uma maçã retangular, cujos lados se orientam em direção aos pontos cardeais, com uma leve declinação de 4º ao poente, ela conta ainda com 157 colunas espalhadas por uma superfície de 23.457 m2. Segundo o Guiness, edição de 1986, sabemos que esta é a catedral que tem maior superfície coberta. São 126,18 metros de largura por 82,60 metros de comprimento e 30,48 metros de altura. Parece colossal.
Em Sevilha, pode-se apreciar duas grandes festas: a Semana Santa, na Páscoa, e a Feira de Abril. A cidade foi bastante beneficiada com a Expo92. E se pode ver as novas construções, o novo sistema viário embelezando a cidade e sua periferia.
O túmulo de Cristóvão Colombo está em Sevilha, na maior catedral gótica do mundo. E no Museu de Belas Artes de Sevilha está uma grandiosa escultura do santo-homem São Jerônimo, ajoelhado no deserto, com uma pedra na mão (consciente de suas culpas e limites, ele batia no peito com pedras “. Jerônimo foi um homem extraordinário: polêmico, espiritual, filósofo, historiador, gramático. Escritor de estilo puro em latim, grego e hebraico. A ele o Ocidente deve a tradução em latim do Antigo e do Novo Testamento, que se tornou, com o título de Vulgata, a bíblia do Cristianismo.

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Observatório da Imprensa
  • Vale

ESPAÇO PUBLICITÁRIO

  • Carta Maior
  • Meu Advogado